Blog

A história da Lagarta e da Butterfly

Publicado em 28 de setembro de 2017
Era uma vez uma empresa que tinha crescido por um bom tempo. Só que chegou um dia que travou, não ia pra frente nem pra trás. O tédio imperava e, o lugar que ela tinha tendência de ir, era para o buraco.

A empresa Lagarta S.A. estava vivendo a maior confusão naquele momento. O pessoal da diretoria culpava o pessoal de vendas e é claro, vive e versa. A produção andava desmotivada e nem campanha de pague 2 leve 3 resolvia. Outro dia o Sr. Esperâncio Altis perdeu a paciência e falou para vender abaixo do custo para detonar a concorrência. Logo mandou parar. Estavam é detonando a pobre Lagarta, já encasulada.

Um belo dia chegou um fornecedor, o Sr. Pensamiro Forte, da empresa Butterfly e disse que vinha observando e não entendia como que uma empresa do nível da Lagarta poderia estar assim parada. Ele perguntou como andava a propaganda da empresa, se a agência deles era boa.

Coitado do Sr. Esperâncio, desta vez ele que se espantou: “O que?” Disse ele. “Qual agência, qual propaganda? Está louco homem, uma crise destas e você ainda acha que vou gastar com essa besteiras?”

O paciente Pensamiro respirou fundo e disse:

“Sabe Sr. Esperâncio, estes sintomas que sua empresa tem, com  todo respeito, podem ser falta de comunicação com o mercado consumidor.

Claro que fazer propaganda de qualquer jeito não funciona. Lá na Butterfly nós fazemos um estudo, um plano, junto com nosssa agência, com dados de mercado. Depois de uma cuidadosa análise surge a solução de comunicação. Aí tudo fica mais fácil, a empresa gira melhor, os vendedores já não se esforçam tanto para vender. O produto ganhar credibilidade, fica conhecido.

Caso o senhor queira, eu passo o telefone da nossa agência, ou procure uma agência que faça planejamento. Sem planejamento sai anúncio sem sal, sem tempero, sem conceito e aí sim é jogar dinheiro fora mesmo.”

E ele continuou:

“E o senhor sabe, quem não cresce encolhe. Hoje não ficamos sem propaganda. Como diz Talentino Solto, o dono da nossa agência: empresa que não tem uma boa comunicação é igual maçã sem casca, nem passarinho quer.”

O senhor Esperâncio ficou ali. Teve a grandeza de escutar tudo.

Uma hora destas ele deve estar numa reunião de planejamento com alguma agência de propaganda, apresentando os dados da sua empresa para uma avaliação.

Mais publicações

Arquivo do Blog

COMPARTILHE